Mídia nacional destaca novo projeto de Efraim que busca acordo entre Planalto e Congresso sobre a desoneração da folha

O portal Correio Brasiliense trouxe matéria nesta quinta-feira (16), onde destaca que o senador Efraim Filho (União-PB) protocolou, ontem (15), um projeto de lei (PL) que busca um meio termo para a desoneração da folha de pagamento dos 17 setores da economia, conforme o acordo entre o Palácio do Planalto e o Congresso, anunciado na semana passada.

Por Vale do Piancó -PB em 16/05/2024 às 13:35:32

O portal Correio Brasiliense trouxe matéria nesta quinta-feira (16), onde destaca que o senador Efraim Filho (União-PB) protocolou, ontem (15), um projeto de lei (PL) que busca um meio termo para a desoneração da folha de pagamento dos 17 setores da economia, conforme o acordo entre o Palácio do Planalto e o Congresso, anunciado na semana passada. O texto do PL 2.847/24 é uma vitória do governo, que obteve no Supremo Tribunal Federal (STF), em abril, a suspensão da continuação da isenção fiscal — conforme veto presidencial derrubado pelo Congresso.

O senador paraibano disse que acredita que é possível “sentar esses atores à mesma mesa e oferecer uma solução”. O texto prevê uma reoneração progressiva até 2027 e mantém isentos os setores produtivos até o fim deste ano. “O PL traz a informação de que, para 2024, se mantenha a política atual de desoneração nos moldes atuais, para que não haja um impacto abrupto e que faça com que as empresas demitam as pessoas para equalizar essa situação. A partir de 2025, haverá a reoneração gradual, que diluirá esses impactos até 2027”, comentou Efraim.

O novo PL, porém, não trata da isenção para as folhas dos municípios. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) — que criticou a decisão do governo de judicializar a questão —, afirmou que deve se reunir com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para tratar especificamente das prefeituras. Segundo o novo PL, Efraim pediu a Pacheco que a matéria tramite em regime de urgência “para que pela assinatura da maioria, ou até mesmo a unanimidade dos líderes, seja votado o quanto antes de esse diálogo com o ministro Haddad acontecer”.

O acordo costurado entre o Executivo e o Legislativo foi divulgado na quinta-feira passada. Haddad, Pacheco, o líder governista no Congresso, o senador Randolfe Rodrigues (sem partido-AP), e o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, deram a indicação de que o PL protocolado por Efraim materializaria o que ficou ajustado.

Redação

Fonte: pbagora.com

Comunicar erro

Comentários

Anuncie Aqui