Justiça dá prazo de 72 horas para instalação de CPI do Padre Zé

A Justiça da Paraíba determinou nesta terça-feira (11) que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Hospital Padre Zé deverá ser instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Por Vale do Piancó -PB em 11/06/2024 às 16:25:59
Foto: Vitrine do Cariri

Foto: Vitrine do Cariri

A Justiça da Paraíba determinou nesta terça-feira (11) que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Hospital Padre Zé deverá ser instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). O pedido de criação da CPI do Padre Zé foi subscrito por 12 parlamentares, com a finalidade de instauração de inquérito parlamentar para investigar os atos ilícitos na utilização de verbas destinadas ao hospital Padre Zé, diante da existência de fortes indícios de irregularidades.

O juiz convocado Alexandre Targino Gomes Falcão concedeu medida liminar a fim de determinar que a Assembleia Legislativa do Estado adote as providências necessárias com vistas à criação e instalação de comissão parlamentar de inquérito (CPI do Padre Zé), no prazo máximo de 72 horas. A decisão atende a um pedido formulado nos autos do Mandado de Segurança, impetrado pelo deputado George Ventura Morais.

Segundo o autor da ação, até a presente data ainda não houve a apreciação e deferimento do Requerimento assinado pelos deputados visando a instalação por parte da presidência da Casa.

“Da análise do caderno processual, tem-se que o Requerimento foi subscrito por um terço dos deputados estaduais para abertura de CPI; houve a indicação de fato determinado a ser apurado (atos ilícitos na utilização de verbas destinadas ao Hospital Padre Zé, diante da existência de fortes indícios de ilegalidades); e foi apontado prazo para a duração do inquérito. Por outro lado, não houve deliberação do Presidente da Assembleia Legislativa a fim de determinar a instalação da CPI, que desde a data do protocolo do aludido requerimento, ocorrido em 07.12.2023, ainda não se manifestou, ignorando, ao que tudo indica, além dos mandamentos constitucionais já mencionados, as disposições fixadas no Regimento Interno da Casa, que fixa o prazo máximo de cinco sessões para exame da admissibilidade do pedido”, ressaltou o juiz na decisão.

MaisPB

Fonte: https://www.maispb.com.br

Comunicar erro

Comentários

Anuncie Aqui