Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

Quando a fome se junta com a falta de comida pronta na geladeira e a preguiça de cozinhar, o jantar demora no máximo alguns minutos para ficar pronto: pipoca.

Por Vale do Piancó -PB em 11/06/2024 às 22:27:09
Foto: G1 - Globo

Foto: G1 - Globo

Quando a fome se junta com a falta de comida pronta na geladeira e a preguiça de cozinhar, o jantar demora no máximo alguns minutos para ficar pronto: pipoca.

Mas, afinal, pipoca pode ser considerada uma refeição?

Depende! Os nutricionistas explicam que a resposta não é certeira porque depende de dois fatores principais:

  • A composição das demais refeições ao longo do dia, isto é, se foram completas em termos nutricionais, com variedade de fibras, proteínas e carboidratos;
  • E se a pipoca vai ser acompanhada de algum outro alimento ou bebida que torne a refeição mais (ou menos) nutritiva.

Lanche ou refeição completa?

Apesar de ser uma alternativa muito comum para quem não gosta de alimentos pesados ou não tem tempo de cozinhar de noite, a pipoca não é o que os nutricionistas consideram uma refeição completa.

Cíntia Silva, nutricionista e pós-doutora em nutrição na Faculdade de Saúde Pública da USP, explica que um prato ideal precisa dos seguintes componentes:

  • Carboidratos
  • Lipídios
  • Fibras
  • Proteínas

 

“No caso da pipoca, ela tem uma boa quantidade de fibras e carboidratos, mas não tem proteínas, nem lipídios, a depender do modo de preparo”, analisa a nutricionista.

Nesse sentido, Cíntia avalia que, sozinha, a pipoca poderia ser um bom lanche, para ser consumido entre as grandes refeições. Isso porque, nessas ocasiões, o alimento pode conter somente parte dos elementos nutricionais presentes em uma refeição completa.

Raissa Vianna, pós-graduada em Nutrição Clínica-Hospitalar e Nutrição Esportiva e nutricionista no Hospital Sírio-Libanês, também acrescenta que a pipoca pode ser incluída no plano alimentar como uma refeição, mas que é preciso analisar o consumo de proteínas e lipídios ao longo do dia.

As duas nutricionistas defendem que, para que a pipoca se torne realmente uma opção de jantar, é preciso adicionar algum outro alimento na refeição.

“Sempre aconselho complementar a pipoca com alguma outra coisa que traga mais nutrientes para a refeição, seja uma fruta, uma vitamina ou até um suplemento proteico”, comenta Raissa Vianna.

Pipoca é saudável?

De acordo com as nutricionistas, a pipoca é considerada saudável, principalmente por ser rica em fibras.

Ela proporciona mais saciedade do que o próprio milho, por exemplo, porque, quando estoura e vira pipoca, a composição química do alimento se transforma, aumentando a quantidade de fibras presente.

Segundo um artigo da American Heart Association, a pipoca também é uma boa fonte de antioxidantes que melhoram a circulação sanguínea e a digestão.

Por ser uma opção baixa em calorias e que dá saciedade, a pipoca é considerada um alimento que pode auxiliar na perda de peso.

Mas a nutricionista Raissa Vianna lembra que o que mais ajuda nas dietas é a adesão do paciente.

o que mais ajuda nas dietas é a adesão do paciente.

Micro-ondas X panela

Um fator que pode influenciar diretamente no quanto a pipoca vai ser saudável é o modo de preparo.

Cíntia explica que todos os modos de preparo vão ter prós e contras. A pipoca de micro-ondas, por exemplo, às vezes acaba sendo mais rápida que a feita na panela. Mas, por outro lado, tem uma quantidade muito maior de sal e gordura do que a caseira.

Ainda há os preparos no micro-ondas que utilizam somente água ou em máquinas fazem pipoca sem óleo, opções que tornam o alimento menos calórico.

Raissa ainda comenta que as quantidades são muitas vezes são o que determina se um alimento vai ser saudável ou não – seja a quantidade ingerida do alimento ou dos ingredientes utilizados no preparo da comida.

G1

Fonte: clickpb.com.br

Tags:   SaúdePipoca
Comunicar erro

Comentários

Anuncie Aqui